Make your own free website on Tripod.com
Lar dos Gatos

Home
Noticias
Introdução
Os Ancestrais dos Gatos
Os Primeiros Gatos
Domesticação
Dicas
Escolhendo um Gato
Instinto Selvagem
Raça e Carater
Gatos e Crianças
Os Sentidos
Higiene e Cuidados
Curiosidades
Características
Acasalamento e Filhotes
Cores e Pelos
Cronicas, Poemas e Histórias
Homenagem
Fotos
Nomes de Gatinhos e Gatinhas
Contate-me
Links

Instinto Selvagem

bicho100.gif


Doméstico desde há milénios, o gato conservou a maior parte dos seus instintos silvestres. Podem, certamente, induzir-nos em erro os aspectos que fazem dele um perfeito gato de salão, e não é fácil crer que os seus comportamentos sejam os mesmos do que os das grandes feras. Contudo, no dia-a-dia, o animal que olhamos com olhos carinhosos dá lugar à sua verdadeira Natureza... O exemplo mais elucidativo é o do gesto, simples e comum,do gato que se esfrega contra as pernas ou a face do seu dono: Sabemos que o animal manifesta deste modo o seu afecto, mas por sua vez, efectua uma troca de odores; de facto, graças às glândulas situadas na cauda e no focinho, o gato impregna com a sua marca pessoal os lugares e os indivíduos que o rodeiam. Este comportamento , comum a todos os felinos, é uma maneira de dizer que pertencemos à mesma família, equiparando-nos a um membro da sua espécie .
O processo de marcação de território é análogo a este comportamento. No código felino, uma propriedade é legitimada e reconhecida pelo cheiro; de facto, os machos delimitam o seu território espargindo urina, sacudindo a cauda como se fosse uma escova, sobre os elementos verticais do ambiente em que vivem, sejam todos de árvore ou plantas diversas, e na cidade, paredes, paus, tapumes, resumindo, qualquer ponto de referência que pareça fixo. Quando não são regados com urina, os objectos que se encontram no território são marcados por meio das glândulas odoríferas que o animal possui. Este cheiro, não detectável para o homem, será fácilmente identificado pelos eventuais felinos que passem.